0

DOIS É BOM, primeiro espetáculo long form da Cia, faz temporada na Casa de Cultura Laura Alvim / Setembro de 2017

Em setembro de 2017, a Cia Teatro do Nada reestreou o long form DOIS É BOM, formato criado por Ana Paula Novellino e Claudio Amado em 2009 e que desde então se encontra na estrada. Em 2012, o espetáculo participou do IV ENIMPRO - Encuentro Internacional de Improvisación em San José, na Costa Rica. Nesta temporada de 2017, graças ao edital de programação da FUNARJ, fez uma temporada de um mês, às terças e quartas, na Sala Rogério Cardoso, na Casa de Cultura Laura Alvim. Desta vez,  a música foi criada por Aldo Medeiros e a iluminação e produção executiva ficaram a cargo de Pedro Figueiredo.

                                                                     RELEASE



PRIMEIRO ESPETÁCULO DE IMPROVISAÇÃO LONG FORM da CIA TEATRO DO NADA VOLTA EM CARTAZ NA CASA DE CULTURA LAURA ALVIM EM IPANEMA

Com apenas uma palavra atores criam uma história a cada apresentação

“DOIS É BOM” reestreia dia 05 de setembro e segue em cartaz até o final do mês, às terças e quartas às 20h, na Casa de Cultura Laura Alvim (Sala Rogério Cardoso), Espaço da Secretaria de Estado da Cultura\FUNSRJ, em Ipanema. Ana Paula Novellino e Claudio Amado, dois dos fundadores e diretores da Cia Teatro do Nada, um dos grupos precursores na pesquisa e produção de espetáculos de improvisação e dramaturgia espontânea no Brasil, são os responsáveis pela criação, direção e atuação da peça. Como todas as produções da companhia, “DOIS É BOM” é um espetáculo inteiramente improvisado na hora a cada apresentação.
Com uma única palavra sugerida pela plateia no início da sessão, os atores desenvolvem os temas que serão usados ao longo da performance, que conta com 4 cenas distintas que se conectam na última narrativa. Todos os personagens, diálogos, situações, conflitos, relações, tudo é uma criação espontânea dos atores. Da mesma forma, a trilha sonora e a iluminação também são confecções do momento. As canções, a cargo de Aldo Medeiros, são compostas e tocadas pela primeira vez em cena, inspiradas nas situações que acabaram de acontecer.  Cada apresentação de “DOIS É BOM” é única e jamais se repetirá da mesma forma, uma experiência teatral arriscada e efêmera, onde o público é testemunha e cúmplice dos atores na criação cênica.
“Sinto a adrenalina do paraquedista em queda livre ao mergulhar no palco sem saber o que vai ser. A Palavra dada pelo público em “Dois é Bom” é o paraquedas que em alguns segundos vai abrir e nos deixar planar até plantar os pés no chão”, afirma Ana Paula.
A montagem estreou em 2009, no Rio de Janeiro, e já cumpriu temporada em diversos teatros. Em 2012, participou do IV ENIMPRO – Encuentro Internacional de Improvisación em San José, Costa Rica - “Foi o primeiro long form que fizemos, pois na época (2008-2009) ainda não existiam espetáculos de improvisação nesse estilo no Brasil, havia apenas jogos de improviso e comédia. Por conta de nossa formação teatral, sempre buscamos um estilo de improvisar onde a comédia e o drama pudessem coexistir, onde os personagens pudessem ter uma composição mais realista, uma dramaturgia espontânea mas com carga emocional, onde as cenas se aprofundassem mais na relação entre os personagens”, destaca Claudio Amado.
A Cia Teatro do Nada nasceu em 2004 no Rio de Janeiro, e desde então pesquisa e apresenta espetáculos baseados na técnica conhecida como IMPRO ou IMPROV. Possui sete espetáculos em seu repertório: Teatro do Nada (2004), Nada Contra (2006), Dois é Bom (2009), Improzap (2008), Impro Night (2009), Segredos (2010) e o mais recente Rio de Histórias (2016). No Brasil, participou dos festivais de teatro de Angra dos Reis (FITA), Festival de Teatro da Língua Portuguesa (FESTLIP) e do Inverno Cultural de São João Del Rey. No exterior, representou o Brasil em festivais de improvisação no Chile e na Costa Rica.

SERVIÇO:

DOIS É BOM
Temporada: de 05 a 27 de setembro
Dias\hora: terças e quartas-feiras às 20h
Local: Casa de Cultura Laura Alvim (Sala Rogério Cardoso)
Endereço: Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema
Tel: (21) 2332-2016
Ingresso: R$ 30,00 (R$ 15,00 Meia) 
Capacidade: 53 lugares
Faixa etária: 14 anos
Duração: 60 minutos.

FICHA TÉCNICA 
Direção: Ana Paula Novellino e Claudio Amado
Atores: Ana Paula Novellino e Claudio Amado
Músico Aldo Medeiros
Iluminação: Pedro Figueiredo
Assessoria de Imprensa: Lyvia Rodrigues\Aquela que Divulga
Produção: Claudio Amado e Pedro Figueiredo



Foto: Cecília Vaz

Foto: Cecília Vaz

Foto: Cecília Vaz

Foto: Cecília Vaz
Foto: Lyvia Rodrigues
Foto: Lyvia Rodrigues
Foto: Lyvia Rodrigues
Foto: Lyvia Rodrigues

Foto: Cecília Vaz






video

video video
video


0

RIO DE HISTÓRIAS faz curta temporada na Casa Naara / Maio de 2017

Em maio de 2017,a Cia Teatro do Nada fez uma curta temporada do RIO DE HISTÓRIAS na Casa Naara, no centro do Rio de Janeiro. No elenco, Ana Paula Novellino, Claudio Amado, Cecília Vitis, Luca de Castro, Ivan Fernandes, Tuila Jost e Pedro Figueiredo. Música: Aldo Medeiros. Fotos: Thiago Facina



                                                                    RELEASE



‘RIO DE HISTÓRIAS’ reestreia temporada na Casa Naara, no centro

Novo espetáculo da Cia. Teatro do Nada se inspira em relatos da plateia sobre o Rio de Janeiro

A companhia carioca Teatro do Nada – que há 12 anos pesquisa e desenvolve espetáculos de improvisação teatral - apresenta sua nova criação: ‘Rio de Histórias’. A montagem – quebrando uma lacuna de seis anos sem estrear um espetáculo inédito – reestreia dia 04 de maio na Casa Naara com sessões às quintas-feiras, às 19h30.
Seguindo a linha de suas duas últimas peças, ‘Dois é Bom’ (2008) e ‘Segredos’ (2010), a performance adota o estilo long form de improvisação, onde jogos e cenas curtas (presentes no Teatro-Esporte) dão lugar a histórias longas com começo, meio e fim, através de uma encenação criada na hora a partir de uma dramaturgia espontânea e coletiva – fruto de anos de treinamento e entrosamento da equipe formada pelos atores-improvisadores Ana Paula Novellino, Claudio Amado, Ivan Fernandes, Lola Borges, Luca de Castro, Pedro Figueiredo, Tuila Jost, e Cecília Vaz.
A novidade é que pela primeira vez a companhia desenvolve um espetáculo com formato próprio, diferente das outras produções, baseadas em modelos já existentes. Para isso, escolheram a cidade do Rio de Janeiro como fonte de inspiração, levando ao palco personagens, situações, locais e a cultura tipicamente carioca. Um long form que, ao falar de sua aldeia, se torna universal.
"O Rio de Janeiro, que já inspirou Nelson Rodrigues, Tom Jobim, Sérgio Porto, Vinicius de Morais, Noel Rosa, entre tantos, é uma cidade única no Brasil e no mundo. Neste momento em que suas qualidades e defeitos estão tão em evidência, o Teatro do Nada quer resgatar e valorizar o espírito carioca, contando histórias que só seriam possíveis na cidade maravilha purgatório da beleza e do caos”, afirma Claudio Amado, diretor do espetáculo e um dos fundadores do grupo.
Quem dita o rumo da história – como sempre – é o público. Desta vez, sua participação acontece por meio de depoimentos em áudio, gravados antes da apresentação. Nesses relatos, lembranças, momentos marcantes, fatos do passado e do presente associados a bairros e locais do Rio criam um universo de referências cariocas. Quem nasceu aqui, quem veio de fora, quem está de passagem, todas as impressões sobre a cidade são bem vindas. As gravações serão compartilhadas no palco com os espectadores e servirão para inspirar os atores na composição das personagens, diálogos e cenas.
A ideia de gravar depoimentos da plateia sobre o Rio não foi por acaso. A vontade veio do cenário político recente do país, pautado por áudios vazados na mídia. “Resolvemos levar essa referência para o nosso espetáculo por estar tão latente. Vamos ‘vazar’ as sonoras dos espectadores em cena e essas gravações irão ditar o rumo do espetáculo a cada sessão. Exatamente como acontece no Brasil nos últimos tempos”, finaliza Claudio.
A trilha sonora, improvisada ao vivo pelo músico Aldo Medeiros, terá como influência os estilos musicais genuinamente cariocas, como o samba, o funk, o chorinho e a bossa nova.
A Companhia Teatro do Nada nasceu em 2004 no Rio de Janeiro, e desde então pesquisa e apresenta espetáculos baseados na técnica do IMPRO. Possui sete espetáculos em seu repertório: Teatro do Nada (2004), Nada Contra (2006), Dois é Bom (2008), Improzap (2008), Impro Night (2009), Segredos (2010) e o estreante ‘Rio de Histórias’. No Brasil, participou dos festivais de teatro de Angra dos Reis (FITA), Festival de Teatro da Língua Portuguesa (FESTLIP) e do Inverno Cultural de São João Del Rey. No exterior, representou o Brasil em festivais de improvisação no Chile e na Costa Rica.

SINOPSE
Espetáculo inédito da Cia Teatro do Nada depois de seis anos, ‘Rio de Histórias’ é um formato próprio de improvisação criado pelo grupo, tendo como tema central a cidade do Rio de Janeiro. Inspirados pelo universo carioca, os atores criam cenas, histórias e diálogos que só no Rio seriam possíveis. Um long form carioca que, ao falar de sua aldeia, se torna universal. O público participa gravando depoimentos em áudio sobre a cidade minutos antes da apresentação e o material é depois usado como inspiração para as histórias criadas em cena.

SERVIÇO
RIO DE HISTÓRIAS
Temporada: de 04 a 25 de maio
Dias\hora: quintas - feiras às 19:30.
Local: Casa Naara
Endereço: Rua Teófilo Otoni, 134 - sobrado- Centro (próximo ao metrô Uruguaiana)
Ingresso: contribuição consciente
Capacidade: 50 lugares
Faixa etária: 12 anos
Duração: 60 minutos

FICHA TÉCNICA 

Direção: Claudio Amado
Atores: Ana Paula Novellino, Claudio Amado, Ivan Fernandes, Lola Borges, Luca de Castro, Pedro Figueiredo, Tuila Jost, e Cecília Vitis
Músico: Aldo Medeiros
Assessoria de Imprensa: Aquela que Divulga/Lyvia Rodrigues










video

0

RIO DE HISTÓRIAS reestreia na Biblioteca Parque Estadual

Em 04 de outubro de 2016, RIO DE HISTÓRIAS reestreou no Teatro Alcione Araújo, na Biblioteca Parque Estadual. Nesta segunda temporada do espetáculo, levamos turmas de colégios para assistir de graça ao espetáculo, um movimento de formação de platéia importante que se encaixava com a proposta de expandir e democratizar o acesso à Cultura, objetivo que o Teatro do Nada e a Biblioteca Parque tem em comum.


Fotos: Guilherme Bezerra










0

Estréia RIO DE HISTÓRIAS, novo espetáculo do Teatro do Nada

Em 23 de julho de 2016 estreou RIO DE HISTÓRIAS, novo espetáculo do Teatro do Nada, no Teatro Ziembinski. Dessa vez, o Teatro do Nada resolveu criar um formato próprio e original, não mais inspirado em formatos já conhecidos. Com direção de Claudio Amado, um dos diretores do grupo, RIO DE HISTÓRIAS é uma homenagem à Cidade Maravilhosa, sede do grupo carioca. A partir de depoimentos do público sobre o Rio de Janeiro ( lembranças, impressões, historias e causos tipicamente cariocas), são gravados áudios antes de cada apresentação. No início do espetáculo, esses áudios são ouvidos pelos improvisadores, que depois se inspiram neles para construir as cenas e personagens de cada performance. Além disso, o espetáculo contou com a inclusão do músico e compositor Aldo Medeiros, que também improvisava canções na hora a partir das histórias improvisadas. O espetáculo cumpriu curta temporada no Teatro Ziembinski, de apenas 2 semanas, como parte da ocupação Zimba Com(Vida) , da Opsis Soluções Culturais.

Fotos de divulgação: Thiago Facina



Fotos de cena: Cecília Vaz




0

Teatro do Nada no Beco do Improviso

Em 2016 houve um movimento muito legal de encontro de grupos e improvisadores cariocas no Beco do Improviso, projeto de Victor Soares que agregava diferentes elencos e formatos de improvisação no histórico palco do Beco das Garrafas, em Copacabana. A cada noite, dois grupos se apresentavam, primeiro separados, em um formato de 30 minutos cada um, e depois em um improviso final com todos os improvisadores. O Teatro do Nada participou apresentando uma versão mais curta de SEGREDOS, seu long form mais conhecido. O projeto movimentou a cena da impro carioca e rendeu ótimos encontros entre veteranos e novos grupos de improvisação do Rio de Janeiro.